Os nossos clientes são muito exigentes. Por isso, realizamos testes exaustivos
O que se mantém muito flexível após 120 dias a 155 °C?

O que se mantém muito flexível após 120 dias a 155 °C?

Os nossos clientes são muito exigentes. Por isso, realizamos testes exaustivos. E os procedimentos de testes da nossa empresa para fixação adesiva são rigorosos.



O adesivo certo, combinado com o suporte certo, pode fazer muito. E tem de o fazer, também, uma vez que a fita adesiva é necessária para um sem número de requisitos. Por vezes, estes requisitos podem ser extremamente exigentes. A nossa fita adesiva tem de se mostrar eficaz em aplicações industriais, provando que os vários tipos de fita desempenham a sua função nas condições mais adversas, durante décadas.

Obrigatório: Testar fitas e poder adesivo

RandD_Laboratory-001_300dpi
RandD_Laboratory-001_300dpi

As fitas adesivas têm de se mostrar eficazes antes de estarem prontas para o mundo lá fora e acima de tudo para o local previsto de aplicação. Usamos procedimentos de testes definidos e certificados pela tesa para verificar se uma fita adesiva vai fazer aquilo que prometemos. São usados mais de 200 procedimentos de testes diferentes no nosso próprio laboratório de investigação e desenvolvimento. Antes de um produto estar pronto para ser usado, tem de ser completamente verificado. No teste da fita adesiva, esta tem de suar, congelar, esticar, suportar fricção e mesmo atravessar fogo.

Algumas fitas adesivas têm de suportar temperaturas de -40 °C a +150 °C e humidade entre 25 e 95 por cento em câmaras climatizadas especiais – um teste tesa® usado em produtos de agrupamento de cabos para indústria automóvel, por exemplo. Este tipo de conjunto de cabos agrupado com fitas adesivas especiais tem de ser manter flexível após 3000 horas de calor extremo, para que não rompa – um requisito básico para assegurar a vida longa de um automóvel.

global.read_more

O grau de dificuldade de "especialista" no teste tesa®

No teste com torre de queda a fita tem de suportar o impacto de grandes pesos
No teste com torre de queda a fita tem de suportar o impacto de grandes pesos

Muitas fitas adesivas como as fitas de elevado desempenho da gama de produtos tesa® ACXplus contam com sessões de tortura muito diferentes no seu passado. Após o teste interno, seguem-se normalmente outros testes em laboratórios externos, por exemplo, no laboratório da empresa de certificação internacional UL (Underwriters Laboratories) para a gama tesa® ACXplus.

24 horas debaixo de água, 96 horas a 35 °C, outras 8 horas a –35 °C, 120 dias de armazenamento a 155 °C – são os requisitos, por exemplo, que a nossa fita de elevado desempenho tem de satisfazer. Estes testes de fitas adesivas são repetidos diversas vezes – antes de outro ensaio dinâmico de cisalhamento e mais 7 dias de armazenamento a 60 °C. A aderência extremamente elevada da fita adesiva passou todos os testes.

A situação ficou ainda mais quente para a gama tesa® ACXplus no laboratório da Sociedade de Investigação de Materiais e Instituto de Testes para a Indústria da Construção [Gesellschaft für Materialforschung und Prüfungsanstalt für das Bauwesen ] Leipzig. Painéis leves de alumínio, fixos com tesa® ACXplus 7078, foram incendiados na prova de fogo. A fita tesa® suportou as chamas excecionalmente bem no teste de componentes e foi certificada na classe de segurança contra incêndios "C – s2, d0." Tal significa que: É dificilmente inflamada; não é propensa a propagação de fumo; e o material inflamável é estanque.

global.read_more

Humidade, ciclones e terramotos

Outro aspeto importante no uso de uma fita adesiva é a resistência mecânica da fixação adesiva. É o foco dos testes a fitas, como aqueles realizados pelo Instituto de Tecnologia de Janelas [Institut für Fenstertechnik (ift)] em Rosenheim, pela Architectural Testing Inc. nos E.U.A. ou na Universidade James Cook na Austrália. Os testes envolvem resistência ao envelhecimento, aos raios UV, permeabilidade à água e resistência a soluções salinas ou substâncias químicas. Acima de tudo, é testada a preservação da aderência nos pontos de adesão com exposição à humidade, chuva e neve, a condições climáticas extremas e diferenças térmicas, assim como impactos mecânicos extremos. E depois há bancos de ensaio especiais para requisitos específicos. Por exemplo, testes de ventos fortes e ciclones são realizados na Austrália. Estes testes são concebidos para descobrir se a fixação adesiva em fachadas é capaz de suportar os ventos mais fortes.

Os requisitos exigidos para fitas adesivas pelo laboratório de testes da DICTUC, o instituto de testes de materiais da Universidade Católica de Santiago do Chile, eram igualmente desafiantes. Os elementos de fachadas em que o vidro de regulação térmica foi fixo a caixilhos de alumínio com tesa® ACXplus sofreram um abalo substancial numa simulação de cenários sísmicos. Neste teste da tesa, as fitas adesivas de um sistema de fachadas constituído por vidro e alumínio suportou esses abalos, mesmo no seu ponto máximo, até 60 por cento mais intensos do que o terramoto mais grave registado no Chile até ao presente. Precisamos de dizer mais, a não ser, sim, os produtos tesa® são mesmo resistentes?


Todos os artigos sobre este tópico