A mistura e a estrutura química determinam as Propriedades e áreas de utilização de um adesivo.
O que é que o esparguete e os adesivos têm em comum?

O que é que o esparguete e os adesivos têm em comum?

Adesivos: Como a mistura e estrutura química determinam propriedades e áreas de utilização.



Para explicar a constituição do adesivo, temos de repetir duas das suas disciplinas preferidas na escola: física e química. Mas não se preocupe: Depois disso, vai ficar bem esclarecido sobre adesivos e sua mistura. E ainda será recompensado com um belo esparguete no final.

Lição 1: Física

O equilíbrio entre aderência, coesão e adesividade determina o campo da aplicação
O equilíbrio entre aderência, coesão e adesividade determina o campo da aplicação

Do ponto de vista da física, há três forças com impacto nas propriedades de um adesivo. Além da chamada aderência do adesivo (viscosidade), temos a adesividade ("fixação à superfície") e a coesão ("fixação interna" do adesivo). Estas forças garantem que dois objetos possam ficar unidos firmemente – e determinam a rapidez, a robustez e a duração da adesão entre os objetos. Quanto à composição de um adesivo, a última força é a mais interessante: a coesão. Esta força envolve a firmeza e estabilidade com que um adesivo adere a si próprio. E isso leva-nos para a nossa segunda disciplina preferida.

Lição 2: Química

Ingredientes dos adesivos de borracha natural: borracha, resinas, agentes de enchimento.
Ingredientes dos adesivos de borracha natural: borracha, resinas, agentes de enchimento.

Qual é a composição química dos adesivos e das fitas adesivas? As forças de coesão de um adesivo baseiam-se em interações moleculares entre os chamados polímeros. Os polímeros são grandes moléculas (macromoléculas) compostas por muitas moléculas mais pequenas (monómeros). "Poli" significa "múltiplo", "mono" significa "único". São componentes de um adesivo.

Por sua vez, os polímeros formam longas cadeias de moléculas em movimento. Acima de um determinado comprimento, estas enredam-se entre si e produzem a coesão interna do adesivo. Agora é altura da sua recompensa: Se observar estas cadeias de moléculas enredadas num microscópio, o adesivo parece um monte de esparguete.

Estas longas cadeias de moléculas movem-se entre os pontos de ligação. Tal permite que o adesivo flua bem sobre a superfície e se fixe aí. Simultaneamente, é possível criar outras ligações sólidas entre as cadeias através de processos químicos. Chamamos a isso, "reação" ou "polimerização." Através destes processos as propriedades de adesividade do adesivo podem ser ajustadas e controladas de forma precisa. É isso que se passa com um adesivo – uma mistura que vale a pena observar mais atentamente.

global.read_more
A estrutura química dos adesivos de borracha sintética mostra uma Matriz de Borracha (cinzento) que proporciona adesividade e elasticidade. As longas cadeias de polímeros enredam-se umas nas outras como um prato de esparguete. Os Domínios de Poliestireno (azul) proporcionam coesão adicional e resistência a rasgões.
A estrutura química dos adesivos de borracha sintética mostra uma Matriz de Borracha (cinzento) que proporciona adesividade e elasticidade. As longas cadeias de polímeros enredam-se umas nas outras como um prato de esparguete. Os Domínios de Poliestireno (azul) proporcionam coesão adicional e resistência a rasgões.


Informação relacionada